Sábado, 18 de agosto de 201818/8/2018
(46) 984 000 614
Ensolarado
11º
21º
21º
Barracao - PR
Erro ao processar!
Seu Negócio Tri Banner topo
INTERNACIONAL
Chile tentou vender a Ilha de Páscoa aos EUA e Alemanha nazista
Em 1930, adido dos EUA citou proposta de 1 milhão, segundo historiador
Daiane Lima Bom Jesus do Sul - PR
Postada em 11/08/2018 ás 10h58
Chile tentou vender a Ilha de Páscoa aos EUA e Alemanha nazista

Foto: AP

 Nos anos 1930, o então governo do Chile quis vender a Ilha de Páscoa, situada no meio do Pacífico, a vários países, entre eles Estados Unidos, Japão, Reino Unido e a Alemanha de Adolf Hitler, segundo um historiador espanhol. 


Após adquirir 36 aviões da Alemanha nazista e 29 da Itália fascista de Benito Mussolini, o governo chileno de Arturo Alessandri (1932-1938) e a Armada "ofereceram a venda de Rapa Nui (o nome com que os aborígenes chamam a Ilha de Páscoa) ao menos a Estados Unidos, Japão, Reino Unido e à Alemanha nazista" para poder construir dois cruzadores que completassem seu arsenal militar, revela Mario Amorós no livro "Rapa Nui, uma ferida no oceano" (em tradução livre), apresentado na quinta-feira em Santiago.


Em 1930, o adido naval dos Estados Unidos no Chile informou o Escritório de Inteligência Naval do Departamento de Marinha de seu país da proposta do governo chileno de vender a ilha - que Santiago anexou em 1888 -, supostamente por um milhão de dólares, embora em nenhum momento "se fale de quantidades", diz o autor. 


Sete anos depois, as autoridades chilenas voltaram a oferecê-la aos Estados Unidos mas também ao Japão, Reino Unido e Alemanha. Sem resultados.


Habitada hoje por cerca de 8 mil pessoas, a Ilha de Páscoa está situada a 3.700 km do continente chileno, no meio do Pacífico. A cada ano é visitada por cerca de 100 mil turistas. 


O autor acrescenta que embora as conversas com Estados Unidos, Japão e Reino Unido fossem conhecidas, "ninguém tinha sido capaz de apontar que houve negociações para vendê-la à Alemanha nazista", até que o professor húngaro Ferenc Fischer, especialista nas Forças Armadas chilenas, falou disso em 2011 em uma conferência.

FONTE: g1
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium