Seu Negocio Tri Pop Up01
Dieta 21 dias (pop up)

E-mail

portalagoranoticias@gmail.com

WhatsApp

(46) 984 000 614

Teste01
Entretenimento

E se o craque do seu time dissesse que é gay? Conheça O outro lado da bola, HQ sobre homofobia no futebol

'A gente é mais homofóbico do que a gente pensa. E o futebol serve como um amplificador desses comportamentos', conta um dos autores

17/08/2018 10h48
Por: Daiane Lima
Fonte: g1
Ilustração em 'O outro lado da bola' (Foto: Jean Diaz/Divulgação)
Ilustração em 'O outro lado da bola' (Foto: Jean Diaz/Divulgação)

O que aconteceria se o maior craque de um grande time de futebol atual no Brasil anunciasse que é gay? Segundo a história em quadrinhos “O outro lado da bola” (Record), o país não reagiria tão bem, e a revelação poderia abalar diversos setores da sociedade muito além do esporte. 

Escrita pelos roteiristas Alê Braga e Alvaro Campos, e ilustrada por Jean Diaz, a HQ narra todos os desdobramentos a partir do momento em que Cris, grande astro do fictício Alvinegro Paulista, anuncia que é gay em rede nacional, abalado pela morte violenta de seu namorado.

Na história, não demora para que as repercussões ultrapassem os limites do estádio e até do clube. Torcidas organizadas, patrocinadores, deputados e até organizações religiosas têm algo a dizer sobre o assunto na obra.

 Para ele, não há como contar essa história sem envolver todas essas áreas delicadas. “Futebol, religião e política são áreas em que há umas certa permissão para mostrar coisas que em outros lugares não são aceitas.”

Tanto Braga quanto Campos têm experiências no cinema, então a escolha por quadrinhos para conta a história de Cris misturou lógica com emoção. Além de amar HQs, os dois acreditam que se tratava do melhor veículo para fazer o público geral refletir sem soar professoral.

“Se acontecer no mundo real, e vai acontecer, será com algum grande atleta que vai se planejar, será melhor assessorado para facilitar a aceitação do público. Não vai fazer de supetão, que serviu para aumentar a dramaticidade da nossa ficção.''

  Mesmo assim, o projeto pode virar filme ou série em breve. Braga conta que já escreveram muita coisa além da HQ, e que estão em negociações para levar a história para algum formato de tela.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.