E-mail

portalagoranoticias@gmail.com

WhatsApp

(49) 9 9156-0163

Teste01
ÊXTASE

“Campeonatos amadores deixam jogadores no êxtase e jogam como se estivesse em uma final de Copa do Campeões”

Sonho amenizado; Esporte amador coloca atletas dentro de grandes estádios de forma imaginária

15/07/2019 07h39
Por: Redação
Fonte: PAN/Marcos Prudente
Equipes finalistas do Interbairros Principal/Foto:Marco Engel
Equipes finalistas do Interbairros Principal/Foto:Marco Engel

Por muito tempo os atletas do esporte amador, principalmente os praticantes do futebol e futsal se quisessem destaque tinham que desembolsar uma boa nota para registrar fotos e vídeos, mas com a ascensão da internet e redes sociais todos conseguem divulgar seus lances e gols a poucos cliques, afinal de conta todos tem um celular com uma câmera na mão. Além da acessibilidade individual tem a cobertura dos portais e canais web, que através de lives, levam a atuação em tempo real até quem não tem condições, de estar presente no local do evento esportivo, dando aquele ar de uma atuação profissional.

Diante deste contexto, temos dirigentes e jogadores do futsal amador de Barracão/PR, que vivem momentos êxtasiantes na quadra do Ginásio Bragamatte, onde entram para disputar o chamado futsal de várzea e acabam vivendo minutos de profissional, como se estivesse jogando a Copa dos Campeões. Prova disto é o depoimento do técnico em prótese dentária; Neylor Santin, atleta campeão pelo BAC Futsal Veterano, que chegou buscar espaço no profissional na sua juventude. Hoje é destaque no que faz e vive momentos de estrela em suas atuações pelo amador.  

- Não tem como dizer que não, todo mundo se sente um profissional, principalmente quando joga uma final, disse Neylor.

Para a professora de educação física Adriane Faé, o futebol feminino ganhou mais destaque nos últimos tempos e que o preconceito diminuiu, salientando que começou sua carreira nos campinhos misturada com meninos e tudo que aprendeu foi através da boa vontade, seguindo exemplos de familiares que praticavam a modalidade. Adriane que já encaminha-se para pendurar as chuteiras, promete ter muita lenha para queimar como organizadora de equipes, tudo para não deixar morrer o feminismo dentro dos ginásios e campos, dizendo que a força para prosseguir é a amizade construída através de uma equipe, que já tem a hegemonia no município a pelo menos seis anos, onde seu novo título de campeã veio com o Nossa Senhora de Fátima Mecânica BR Bisugol, mas que vai além de títulos e sim conceituar amigas. Adriane ficou em segundo lugar na artilharia e não disputou a final, uma vez que estava em uma viagem de capacitação, em Puerto Iguazu, Argentina, no dia da final. Faé diz que as meninas que desejarem buscar uma carreira profissional, tem tudo para conseguir devido o destaque alcançado pelo futebol feminino, mas para isso terão que buscar aperfeiçoar suas técnicas, assim como a  humildade em primeiro lugar.

- “Cresci jogando bola nos campinhos com os meninos, nunca frequentei escolinhas. É uma alegria e realização estar envolvida neste meio, também as memórias e as amizades”, pontuou Adriane.

Valdir Tunes, atleta do futebol e futsal amador, assim como dirigente de equipes das categorias de base, ganha a vida como pintor e mesmo em algumas dificuldades financeira, não desiste de colocar equipes para competir nos campeonatos, principalmente no Interbairros de Futsal, onde vinha com times no sub15 e feminino. Neste ano com arrecadação em baixa, optou somente pela base, onde sagrou-se campeão com o Nova Esperança, tendo em seu plantel o artilheiro da competição, mais o goleiro menos vazado, o que lhe enche de orgulho, uma vez que acredita que no esporte é um caminho para aliviar as ruas de futuros usuários de drogas, uma vez que através da atuação esportiva, ocupa-se as mentes dos pimpolhos com algo bom, usando o tempo para competir e buscando coisas que possam formar um cidadão de bem. Tunes disse que chegou a cogitar em parar de montar equipes porém com incentivo moral dos pais dos atletas, mais a colaboração de patrocinadores, decidiu por continuar e promete voltar com o feminino em 2020.

- Este ano eu nem ia fazer time, porque não tem condições né, mas acabei conseguindo uns colaboradores, montei o time e acabei sendo campeã, pontua Valdir. 

Adair Poncio, chapeador e funileiro, ganha a vida lixando e pintando veículos, mas dentro dele está mais vivo do que nunca a chama do futebol e futsal. Competições tanto em quadra como em campo, sempre está lá coordenando uma equipe. Adair nunca integrou o profissional, mas tentou fazer seus filhos ser, porém com as dificuldades, tudo bateu na trave. Hoje sabendo que não tem condições de alçar voos mais altos, mantém vivo o desejo de competir e mesmo sendo no amador, não mede esforço para montar equipes. Neste ano Adair montou times para o sub15, veterano, principal e interiorano e nesta última categoria citada, foi a que lhe deu mais um caneco para a galeria Poncio Esporte Clube.

- Tem que ter coragem e vontade, se não o cara desiste, porque criticas vem, sempre tem um ou outro que pode criticar, mas tem que seguir em frente, disse Poncio.

Campeão pelo Nossa Senhora de Fátima, Rafael Hermes é o único que disputa o amador e o profissional, assim como ganha a vida com o esporte. No amador flerta nos gramados e quadras dos campeonatos locais e regionais. No profissional atua pelo Braguá, equipe de Santo Antonio do Sudoeste, que disputa o Estadual de Futsal Série Bronze do Paraná. Também como profissional é professor e treinador das categorias de base, na Escola de Futsal Bisugol. Hermes vê no esporte uma porta para a integração e formação de caráter, onde mesmo que o atleta não chegue a equipes profissionais, mas se tornarão cidadãos de bem e competitivos em suas áreas de atuação. Rafa também disse que é satisfatório jogar pelo bairro onde mora no futsal amador e mesmo jogando o profissional, quando entra em quadra para defender o Fátima, o frio na barriga muitas das vezes é maior que na atuação em outros campeonatos.

- “Eu tenho este prazer maior em trabalhar com o esporte, saio do ginásio e vou para o ginásio. Sempre quando entro em quadra me dá aquele frio na barriga, mas jogar pelo bairro me aumenta, sendo prazeroso a mistura de trabalho e diversão”, pontuou Rafa.

Fernando Lara, Secretário de Esporte de Barracão e organizador dos campeonatos no município, disse que os dirigentes das equipes, assim como os atletas estão de parabéns pelo empenho. Lara também salientou que o Interbairros é sempre recorde de público e este ano não foi diferente em todas as fases, porém reservou um show a parte para a final, onde com cobertura ao vivo de três veículos de imprensa, entre eles a PANTV, o ginásio foi completamente tomado, tendo de liberar espaço até mesmo no ambiente de escritório da secretaria. Fernando também parabenizou os meios de comunicação pela cobertura, em especial o Portal Agora Noticias, pela iniciativa em presentear as equipes com os quadros fotográficos, afirmando que são com pequenas ações que pode se fazer a diferença.

- O Interbairros com certeza é um dos melhores campeonatos da região, sempre o público prestigia, mas nesta final foi algo que eu nunca tinha visto. Parabenizo a PANTV pela iniciativa, são com pequenas coisas que têm uma representatividade muito boa, que faz a diferença, mas quero parabenizar a todos pelo ótimo campeonato, pontuou Lara. 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.